Hoje estava lendo material didático para a faculdade me deparei com a seguinte discussão: a monetização de algo deve ser realizada no desenvolvimento ou na produção. Ou seja, as pessoas devem ser cobradas pelos produtos durante o desenvolvimento ou produção do mesmos?

Sou ligado ao ramo da indústria de roupas desde minha infância. Nela percebi que o processo de desenvolvimento (pilotagem) é essencial para a confecção do produto final. Ou seja, o desenvolvimento de uma nova peça de roupa é raramente cobrado. Muitas vezes até é feito o desenvolvimento posterior ao pedido ou solicitação do mesmo. Por exemplo: produzimos peças e chegamos ao cliente com essas roupas prontas, se eles gostarem podem efetuar o pedido de uma certa quantidade das mesmas.

A maioria da indústria funciona dessa maneira. O preço do desenvolvimento é diluído na produção posteriormente. É claro que se alguem solicita o desenvolvimento de um produto para que seja produzida uma única unidade, todo o custo de desenvolvimento estará atrelado a esse produto.

Note que o desenvolvimento é muito mais relacionado a características intelectuais e a produção a características físicas. Por exemplo, um livro não carece de desenvolvimento depois que ele é publicado. As pessoas compram o papel, que tem atrelado o custo de desenvolvimento diluído mais o custo de produção em seu preço final. Note que o custo de desenvolvimento ele é incidente uma única vez no processo produtivo, já o custo de produção ele é relacionado a cada unidade e é eterno. Veja, se um produto é vendido muitas vezes o custo de desenvolvimento (investimento destinado ao desenvolvimento) pode ser recuperado.

Se pegarmos uma pedreira, ela apresenta o desenvolvimento quando sua metodologia de funcionamento é elaborada. Já sua produção é feita com base na metodologia desenvolvida.

Falei tudo isso para chegar a um ponto interessante: software. Quando escrevemos um programa qual o custo do produto final, normalmente é 100% de desenvolvimento e 0% de produção. Vamos pegar como exemplos jogos para computadores, principalmente os mais antigos, neles pagamos pela licença do jogo ou seja puramente pelo uso do que foi desenvolvido. e não pelo produto. Estamos comprando puramente propriedade intelectual e não produto.

O ponto é que esse tipo de modelo de negócio não é compatível com a realidade. Sendo assim causa tremenda estranheza quando refletimos sobre o assunto.

Ao meu ver, esse metodologia de negócio não é valida, pois pertence a essa realidade dispare. O modo de sanar isso é a criação de software que funcione exatamente como produto. Um pelo exemplo disso, são as licenças mensais utilização de certa plataforma. Criar código e posteriormente vender um produto que o utilize tem os seguintes benefícios: possibilidade de concorrência; criação de novos competidores para o mercado; melhoramento dos softwares existentes; etc.

Note que esse modelo de vender um produto baseado em desenvolvimento pode ser aplicado não somente a software. Um exemplo é o Spotify, ele conseguiu transformar a música (propriedade puramente intelectual, proveniente do desenvolvimento) em um produto de consumo mensal. Eles fornecem um serviço que é o produto deles.

Por ultimo gostaria de enfatizar, que se você ainda tem uma mentalidade fechada e quer ser diferente do modo que as coisas são estabelecidas, eu provavelmente vou ter a maior satisfação de consumir o seu “produto” de maneira ilegal.